11/09/2020

O presidente da FENASPE, Mário Eugênio da Silva, informa que Assessoria Jurídica da entidade encaminhou ontem (10/09) notificações extrajudiciais às direções da Petrobrás e da Federação Única dos Petroleiros (FUP) para que se abstenham de assinar qualquer termo com alterações na Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS) que prejudiquem os aposentados e as pensionistas. A Petrobrás e a FUP confirmaram o recebimento das notificações nesta sexta-feira (11/09).

A proposta apresentada pela empresa para o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dividiu a categoria. A posição defendida pela FENASPE e suas filiadas é rejeitar a proposta da empresa que impõe alterações no custeio da AMS, atualmente, dividido entre 70% responsabilidade da Petrobrás e 30% os trabalhadores. Se o ACT for aprovado, em 2021 o custeio passará para 60% (Petrobrás) x 40% (empregados) e em 2022 para 50% x 50%. Com isso, os aposentados e pensionistas não terão condições de arcar com as mensalidades e despesas médicas, sendo obrigados a saírem da AMS.
A empresa propõe também aumento na tabela do Grande Risco que vai atingir o trabalhador com mais idade e menor renda.
Por isso, a FENASPE pede para que os aposentados amanhã, às 9h, na assembleia virtual, convocada pelo Sindipetro-BA, filiado à FUP, votem contra a proposta da empresa. Os aposentados são maioria na categoria, então é importante que se manifestem agora para não chorar depois pelo leite derramado.

 

NOTÍCIAS

ANTERIORES